Pular para o conteúdo principal

Maior Retorno com Menor Risco para Consumo e Custos - Dark Scythe (2)

Contexto:
O Barbell Strategy é uma estratégia de Alocação de Portfólio descrita por Nassim Taleb no livro "A Lógica do Cisne Negro".
Em 2017, como resultado da leitura do livro, pensei em aplicar com liberdade criativa a estratégia Barbell ao tempo de vida restante.
Dark Scythe é essa analogia entre a Barbell Strategy e a Linha do Tempo, cuja inspiração reside nas armas de Magus.

Texto - A Correção de Spitznagel :
No processo de escrever como a Barbell se aplica a vida durante a última postagem, entendi que eu acabei passando um pouco os pés pelas mãos, porque senti que descoberto uma espécie de grande tesouro e fiquei com vontade de o aplicar o mais rápido o possível. Entretanto, com a mentalidade fixa acabei não modelando corretamente o problema, até porque é bastante dificil estar sempre aberto a mudar o ponto de vista, apesar de sabermos que é necessário estar disposto sempre a refletir para poder ter melhores resultados (o sétimo hábito).
O exemplo 80% (tesouro) - 10% (tesouro com mais risco) - 7% (ações) - 3% (ações com mais risco) é bastante limitado, porque engendra apenas uma gradação de risco com uma ponderação mais assimétrica. No mercado dos Estados Unidos, uma distribuição popular é 60% bonds, 40% stocks, quando partimos disso não estamos com o desbalanceamento típico do Barbell, que traria uma assimetria maior, entretanto Taleb defende fortemente que o importante é a assimetria, ou seja, termos ativos que se comportam diferentemente diante de situações de crise. Assim sendo, a assimetria 60b/40s é suficiente para começar a conversa, inclusive é o exemplo referência usado no Paradoxo de Altos Retornos com Baixo Risco, um vídeo excelente de 5 minutos sobre alocação de portfólio que me foi sugerido em um relatório de investimento que eu acompanho. 
Spitznagel explica que se você alocar uma parte de sua carteira de investimentos em seguros ou proteções, que são investimentos que devem se valorizar apenas caso uma crise financeira aconteça, então você poderá aumentar a proporção de ações na sua carteira, uma vez que o aumento dessa exposição está protegido. 


A próxima pergunta seria: "mas como isso afeta a Dark Scythe?"

Após esse vídeo inspirador, a aplicação para o caso brasileiro será:


O racional é que eu aumento a minha exposição a ações além do meu tanto de renda fixa, unicamente porque eu tenho proteção em dólar, para o caso de uma crise brasileira, proteção em ouro, para o caso de uma crise nos Estados Unidos ou mundial e uma específica para o caso de queda da bolsa brasileira, que é a opção de venda de ETF de IBOV.

Agora, aplicando a linha do tempo, precisamos refletir sobre estilo de consumo. No caso das postagem anterior, gradação de risco correspondeu a aumento de consumo, ou seja, o risco de eu viver mais tempo (mais de 70 anos, por exemplo) é maior do que o risco de viver menos tempo, logo a minha defesa é inverter o meu estilo de consumo, consumindo com um pouco menos de frugalidade nos tempos mais recentes para mitigar o risco de eu não ter mais vida no futuro para poder consumir o que eu economizei. A estratégia que estou usando para mitigar esse risco é baseada em estilo de consumo, mas podemos nos basear em experiências de vida que não estejam diretamente ligadas a consumo, como trabalhar menos, ou passar mais tempo com entes queridos, ou então dedicar mais tempo a hobbies. Mas muitos de nós concordamos que no caminho de Independência Financeira (e Aposentadoria Mais Cedo) o consumo é uma variável chave.
Adotamos consumo padrão como a soma de todos os gastos anuais do poupador/investidor. Você pode calcular isso para os últimos 12 meses, ou fazer uma média dos últimos 2 ou mais anos, levando em conta se haverá custos novos relevantes ou se alguns custos de anos anteriores não voltaram a incidir.



Conclusão: você poderia passar metade da sua vida restante gastando intencionalmente 10% a mais do que o seu consumo padrão, desde que você desenvolva mecanismos para gastar apenas metade desses custos durante um décimo do seu tempo restante de vida. Há oportunidade para jogar um pouco com esses valores, aumentando o consumo e avaliando o quanto que precisaria ser a economia no "período de proteção".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "FIRE" de ser mandado embora

Para mim, no início da minha vida profissional, independência financeira sempre foi muito mais não ter mais medo de perder o emprego do que conseguir viver dos rendimentos do que eu poupei da minha fonte de renda. Você pode comentar caso se encaixe nessa situação, mas pode ser que eu esteja mais solitário nessa: trabalho em um setor muito bacana, mas dentro de uma área que nas empresas em geral é uma área difícil de se trabalhar, com um trabalho menos valorizado, um desequilíbrio entre vida e trabalho (trabalho ocupando espaço de vida pessoal). Meu supervisor é uma excelente pessoa e um bom gestor, eu aprendo muito com ele e acredito que ele lidera o departamento para um bom caminho.  Acredito que como um efeito colateral de estar em um setor bacana, minha empregabilidade é mais baixa do que o normal fora da empresa, porque em outras indústrias, o que se faz mais é a gestão daquela área difícil de se trabalhar e menos do que eu faço em específico, que é analisar falhas de processo e …

Setembro 2019 (+0,42%), mês 40/84

Setembro 2019, mês 40 desde o planejamento inicial.
Meu objetivo de Fire seria inicialmente em 7 anos, ou 84 meses, mas quando comecei não tinha muito noção de como fazer as projeções de crescimento, sem falar é claro que imprevistos surgem pelo caminho.
Estava em uma jornada ronin até agora, acompanhando de longe a comunidade fire gringa no Reddit, porém devido a criação da Firesfera brasileira, senti um verdadeiro chamado em fazer parte.
Agradeço ao AA40 pela iniciativa de organizar a galera. Tenho certeza que poder trocar ideias é de uma riqueza fabulosa nessa jornada.
Sou o Crono, mas como o blog não é falado, o personagem ainda está congruente!
Desejo ardentemente que em um dos 13 finais eu consiga alcançar meu FIRE!


FIRE x INSS

Depois da reforma da previdência, fiz um cálculo com um colega de trabalho que se aposentaria com com menos de 50 anos para avaliar o quanto ele havia perdido com a fixação da idade mínima em 65 anos. Só somando o valor mensal, sem considerar 13o, por exemplo, o resultado deu em torno de 1 milhão de reais. Inclusive, acho que cabe conversarmos mais sobre isso em outra oportunidade, porque é um enorme Cisne Negro, a Reforma da Previdência 2019, se olharmos com olhos de quem começou a contribuir na década de 90, ingressando no trabalho com 14, 16 anos, justamente para aposentar mais cedo.
Estamos falando de um contexto de regime de CLT, que sabemos pode mudar bastante caso tenhamos novas reformas trabalhistas mais para frente, além do que a Reforma Trabalhista de 2017, já mudou bastante o contexto de trabalho. Vamos ter que construir muito conhecimento em cima dessas tabelas, para termos um número de cenários suficientes para que seja útil, mas traçar um cenário econômico é um processo…