Pular para o conteúdo principal

Covid 19 e como usar a reserva de emergência

É bem complicado começar a investir. Primeiro você precisa ter um tanto já poupado e ter passado por esse duro caminho psicológico que é poupar dinheiro, quando a maior parte das pessoas demonstra só estar gastando (apenas demonstra, pode ser que na realidade as pessoas sejam um pouco mais poupadoras do que elas demonstram numa "geração Instagram"). Depois você precisa entender alguns princípios básicos como separar uma reserva de emergência do seu capital principal. E no começo sua reserva de emergência tende a ser bem maior do que o seu capital principal que é aquele montante você vai usar para investir.
A ideia é que investir tem risco, mas falando pragmaticamente, o risco acaba se traduzindo numa troca intertemporal, porque o investimento em ações, carro-chefe de grande parte dos investidores, tende a se pagar em um intervalo a partir de 18 meses. A PARTIR DE 18 MESES. Investir por fundamentos, lendo relatórios de casas de análise, ou então estudando os balanços da empresa, requer tempo. Tem gente boa em captar "trade pontual", não estou debatendo isso, só estou procurando analisar o panorama geral, que é o x% que seu patrimônio varia de um ano para o outro ou de um mês para o seguinte.
Esse risco inerente ao patrimônio investido, requer que a pessoa separe uma caixinha específica para os riscos da vida, separando-os dos riscos do próprio investimento que você fez ou do próprio mercado financeiro. Então, se você perde o emprego, usando a reserva de emergência você preserva o seu patrimônio principal de ter que desmontar posição antes do tempo, incorrendo em prejuízo talvez. 
Covid 19 pode ser um caso de ter que usar a reserva de emergência. Nesse caso, você vai desmontando a reserva de emergência aos poucos no decorrer das semanas e dos meses para suportar o tanto que você precisar. A ideia de reserva de emergência é a ter sempre, portanto no momento em que você começa a desmontar sua reserva, você tem um tempo para começar a desmontar o seu principal, num horizonte de tempo tão grande quanto você tiver, para reconstruir a sua reserva de emergência. A reserva te permite proteger não apenas ao seu dono, mas o seu próprio portfolio. Se sua reserva de emergência é de 6 meses de despesas mensais, você tem um horizonte de tempo menor, cerca de 3 a 5 meses, para ir desmontando sua reserva de emergência conforme necessidade e ir também desmontando o seu principal de uma forma inteligente para reconstruir a reserva de emergência. Se for 12 meses de reserva de emergência, você tem mais tempo, antes de desmontar parte do seu portfolio principal, portanto esse post acaba sendo uma defesa de uma reserva de emergência bem grande, 12 meses para cima. 
Você pode desmontar apenas 10% da sua reserva de emergência e ir aguardando novos aportes para montar de novo a reserva de emergência, mas se a "crise veio para ficar", então é prudente voltar a montar a reserva de emergência, usando-a para desmontar o seu principal com mais tranquilidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O "FIRE" de ser mandado embora

Para mim, no início da minha vida profissional, independência financeira sempre foi muito mais não ter mais medo de perder o emprego do que conseguir viver dos rendimentos do que eu poupei da minha fonte de renda. Você pode comentar caso se encaixe nessa situação, mas pode ser que eu esteja mais solitário nessa: trabalho em um setor muito bacana, mas dentro de uma área que nas empresas em geral é uma área difícil de se trabalhar, com um trabalho menos valorizado, um desequilíbrio entre vida e trabalho (trabalho ocupando espaço de vida pessoal). Meu supervisor é uma excelente pessoa e um bom gestor, eu aprendo muito com ele e acredito que ele lidera o departamento para um bom caminho.  Acredito que como um efeito colateral de estar em um setor bacana, minha empregabilidade é mais baixa do que o normal fora da empresa, porque em outras indústrias, o que se faz mais é a gestão daquela área difícil de se trabalhar e menos do que eu faço em específico, que é analisar falhas de processo e …

Setembro 2019 (+0,42%), mês 40/84

Setembro 2019, mês 40 desde o planejamento inicial.
Meu objetivo de Fire seria inicialmente em 7 anos, ou 84 meses, mas quando comecei não tinha muito noção de como fazer as projeções de crescimento, sem falar é claro que imprevistos surgem pelo caminho.
Estava em uma jornada ronin até agora, acompanhando de longe a comunidade fire gringa no Reddit, porém devido a criação da Firesfera brasileira, senti um verdadeiro chamado em fazer parte.
Agradeço ao AA40 pela iniciativa de organizar a galera. Tenho certeza que poder trocar ideias é de uma riqueza fabulosa nessa jornada.
Sou o Crono, mas como o blog não é falado, o personagem ainda está congruente!
Desejo ardentemente que em um dos 13 finais eu consiga alcançar meu FIRE!


FIRE x INSS

Depois da reforma da previdência, fiz um cálculo com um colega de trabalho que se aposentaria com com menos de 50 anos para avaliar o quanto ele havia perdido com a fixação da idade mínima em 65 anos. Só somando o valor mensal, sem considerar 13o, por exemplo, o resultado deu em torno de 1 milhão de reais. Inclusive, acho que cabe conversarmos mais sobre isso em outra oportunidade, porque é um enorme Cisne Negro, a Reforma da Previdência 2019, se olharmos com olhos de quem começou a contribuir na década de 90, ingressando no trabalho com 14, 16 anos, justamente para aposentar mais cedo.
Estamos falando de um contexto de regime de CLT, que sabemos pode mudar bastante caso tenhamos novas reformas trabalhistas mais para frente, além do que a Reforma Trabalhista de 2017, já mudou bastante o contexto de trabalho. Vamos ter que construir muito conhecimento em cima dessas tabelas, para termos um número de cenários suficientes para que seja útil, mas traçar um cenário econômico é um processo…